quinta-feira, 3 de abril de 2014

"A Carta nas Quatro Estações"

Neste enxergar de estações, o tempo passa na sua leveza, a vida completa seu ciclo, e eu, aqui neste lugar de privilégio, encontro formas de me sentir vivo. Nada será como dantes, desde que me instalei nestas terras. Do agreste ao calor tórrido, trago comigo toda aquela sensação que o meu caminho é mesmo este. Ainda ontem, numa aberta de dia chuvoso, o sol raiou, e toda a terra ficou iluminada. Aproveitei para dar uma volta ao quarteirão do lugar, e sentir e bela áurea que me confortou.
Aqui neste ambiente serrano a poluição industrial não existe, o ar é puro e toda a envolvência que a natureza proporciona é realmente uma grande dádiva. Pena é que as entidades oficiais não promovam a vinda de casais jovens para povoar este recanto. Certamente muita gente que se identifica com o mundo natural, aqui seria feliz.

Deixarei que o vento leve meus pressupostos por um tempo se fim. Meto as mãos na terra fresca e sinto vida vir até mim. Aqui, serei sempre a minha essência, serei eu e as pessoas de bem, serei, também, aquilo que Deus quiser…

by Quito Arantes