segunda-feira, 27 de abril de 2009

Garganta do Lagarto

O parque natural da Peneda-Gerês tem destas coisas lindas, que mais parece uma coisa de outro país. Bem perto de Lamas de Mouro, a Garganta do Lagarto tem no seu meio um belíssimo parque de campismo rural, em que recomendo a toda a gente que gosta do contacto directo com a natureza. Ali pode-se praticar todo o género de actividades de eco-turismo.

Rio Bessa


 Na fronteira entre Minho e Trás-os- Montes, bem perto de Ribeira de Pena, fica esta represa do rio Bessa, lindo de se ver. No verão as pessoas aproveitam para desfrutar da paisagem e banharem-se nas suas águas.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Memórias do tempo



Há coisas que ficam nas nossas memórias.
Os combóios das américas dos cow-boys e indíos.
As linhas férreas construídas à custa do esforço de imigrantes asiáticos, muito deles escravizados.
Por cá fica a memória da linha do Tua, que teimam em acabar com um símbolo do norte transmontano.
Podemos viver em armonia com o passado e o presente, pensando sempre no futuro sustentável.
Quando vi esta locomotiva em Vouzela, fiquei maravilhado e com uma saudade do passado.
Não porque seja contra o progresso, mas sim, porque recorda-me bons tempos de criança, sem o stress da vida de hoje.
Com o passado aprendemos a corregir erros do presente e a prevenir erros do futuro.
Fico contente que se preserve a história de uma revolução indústrial do século XVIII/XIX.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Do passado para o presente





De uma forma ou outra, todos nós viajamos.
Podemos viajar fisicamente ou virtualmente.
Transportar o sonho de uma viagem das nossas vidas para a realidade, pode ser de um dia para outro, mesmo que pensemos que seja irrealizavel.
É preciso força de vontade e querer mesmo, mesmo que isso traga consequencias no modo de vida futura.
Para ser verdadeiro esperei vinte e cinco anos para fazer uma das minhas viagens com que sempre sonhei. Na altura sonhar não me custou nada, e passar dos sonhos para a realidade pode ser uma eternidade ou então num abrir de fechar de olhos.

NB: O veículo que está na foto não é da minha viagem, mas sim de um casal de holandeses que encontrei na praia da Fuseta- Algarve.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Nau Quinhentista

Viajamos sete mares, encontramos multiculturas, andamos de terra em terra levando notícias do Ocidente e trazendo notícias do além mar.
Temos sangue derramado por todo o mundo, sacrifícios e aventuras para fazerem de nós um Povo para a eternidade.
Teremos agora que descobrir maneiras de voltarmos a ser quem eramos, para honrarmos os nossos antepasssados.

Culpa morre solteira

É com grande tristeza que ouvi hoje a notícia sobre a tragédia de Castelo de Paiva.
Como é possível as famílias das vítimas serem obrigadas a pagar as custas dos processos, nos quais o Estado português deveria ser culpado da tragédia, indeminizando as famílias das vítimas, mas foi aberrantemente o contrário.
Mais uma vez podemos ver o estado em que vai a justiça no nosso país.
Casos como Casa Pia, Apito Dourado, ou mais recentemente Freeport, leva-nos a pensar que existem duas justiças: uma para pobres e outra para pessoas influentes e ricas ou poderosas no aparelho de Estado.
Parece que é mais uma queixa contra desconhecidos, onde os culpados não são apanhados pela justiça e onde a culpa morre solteira, com direito a pagamento de custas judiciais para as pessoas lesadas.
Talvez fosse bom que o ministro da admisnistração interna da altura da tragédia de Castelo de Paiva viesse a público falar de sua justiça, e fizesse uma abertura de Alma.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Crianças mal alimentadas

Talvez não se possa dizer que existe fome entre as crianças do primeiro ciclo escolar. Talvez seja uma palavra um pouco forte, mas que há muitos casos de má nutrição isso é verdade.
Conheço casos que são os próprios professores que levam lanche de suas casas para os alunos.
Estamos a atravesssar uma grave crise económica e social, e não me venham falar de casos pontuais, porque essses casos pontuais, nunca deveriam ter existido num país dito europeu.
O Estado tem que assegurar a alimentação das crianças enquanto estão no tempo escolar, porque senão teremos o tão falado insucesso escolar, que queriam atribuir ao professores, a má nutrição e por fim crianças infelizes que não têm acesso a um bem primordial da nossa sociedade que é a alimentação e desenvolvimento cognitivo.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Portos de Baixo


Em Portos de Baixo, pequena povoação em terras de Castro Laboreiro, Parque da Peneda-Gerês, ainda existem casas com telhado de colmo, embora em muito mau estado. Esta povoação vive principalmente da pastorícia, gente praticamente idosa em que seus filhos emigraram pela europa em busca de melhores dias e oportunidades.
Esta casa foi em tempos, de agricultores abastados para a época.

Novo dia nova descoberta

São 6:00 da manhã e antes de nascer o sol começa um novo dia.
Do recanto da minha cidade tento encontrar um motivo para tirar uma foto. Não às pessoas que vão passando, mas sim ao nascer do sol sobre o rio Cávado, à parte histórica, algo que me faça sonhar mais um pouco, para que o dia que vai decorrer tenha um sentido existencial.
Mesmo que queira não passo das sete horas de sono, levando a luz do dia de Alma aberta.

domingo, 12 de abril de 2009

Branda de Gorbelas

Branda de Gorbelas

Esta branda encravada numa encosta da serra da Peneda-Gerês, parece que parou no tempo, devido ao seu isolamento. Outrora tinha casas com telhado de colmo, que foram substituídos por placas de zinco e telhas. Subindo até ao cimo da montanha, encontra-se o Poldo de Seida, que são antigas abrigos de pastores, anteriores à nacionalidade, que pernoitavam nestes abrigos guardando o gado. Com os tempos foram descendo a montanha, sedentarizando-se na Gorbela, onde aí criaram o povoado actual, dedicando à agricultura, principalmente centeio, batata e feno para o gado. Gente boa que aos furasteiro curiosos, conta as suas histórias de subrevivência nestas terras agrestes, mas ao mesmo tempo, acolhedoras para quem as visita.

Libertar o aventureiro que está em ti

Disse já um vez Filipe Morato Gomes, que o mais dificil é dar o primeiro passo, ter coragem de correr riscos. Depois as coisas começam a fluir para nunca mais pararem. Se tens alma de viajante como ele próprio o disse, então dá o primeiro passo, claro sem fazer efeitos colaterais.
Viajar, conhecer novas culturas, abrir horizontes, enfim se te falta coragem para ir por esse mundo fora, então começa pelo teu próprio país, que muitas coisas belas e gente intersante vais encontrar. Quando a Alma é grande o mundo começa a ficar mais pequeno e tu mais perto daquilo que anseias.