segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

"Até Sempre!"

No seu escritório, sentado na sua secretária, ligava o computador, punha a tocar um CD de Keith Jarrett, e as palavras fluíam numa ligação direta entre mente e teclado do computador, onde os dedos procediam os seus textos no word. Escrevia até que lhe esgotasse a inspiração do momento, então depois repousava no divã que ficava ao fundo do escritório, e sentia que ganhara o dia de trabalho, muito embora não fosse visto monetariamente. Sentir-se realizado era para ele uma bênção de Deus.

Excerto
In "Até Sempre!"
Quito Arantes

Sem comentários:

Enviar um comentário