segunda-feira, 11 de novembro de 2013

NA ROTA DE LE PATRIACHE


O encontro com a Irlanda, foi uma novidade para Ricardo, o verde constante da paisagem, as colinas rochosas de negruras reluzentes, criaram nele um sentido de liberdade. Mas essa liberdade só lhe coube no carro que o transportava, não pode sair pelos campos e correr livremente, sentir a frescura da manhã, e alcançar o seu ser de jovem liberto de drogas.
Fora uma experiência paradoxal, momentos felizes, mas também momentos de angústia. Houve alturas que nos campos contíguos ao casarão onde viviam, uma vez soltaram-se os porcos, e foi uma correria, todos tentando agarrar os porcos. Ricardo, conseguiu montar um, agarrou-o pelas orelhas, mas o raio do porco era mais forte, e fugiu por entre o esforço frustrado dele. Mais tarde seriam esses porcos, criados na corte, e alimentados também por Ricardo, que serviriam de alimentação para todos os residentes.
 
In " Na Rota de Le Patriache "
a editar

Sem comentários:

Enviar um comentário