domingo, 18 de junho de 2017

O que andamos a fazer!

Às vezes fico a pensar como a indiferença faz tão mal ao homem. Poem-lhos a pensar porque havemos de ser tão maus, e tão abusadores da desgraça alheia.
Há gente que, em falta de argumentação, vai buscar acontecimentos de há vinte anos para justificar-se. Vinte anos é um terço de uma vida e para quem não roubou, não matou e nem maltratou o seu semelhante é de uma injustiça atroz andar a passar as informações de geração em geração as desgraças do seu semelhante. É o povo que temos que vive do mau alheio, alimenta-se de intrigas e de falências técnicas dos seus vizinhos. Na hora de dar a mão, são poucos os que aparecem para o fazer, mas esses que aparecem são os verdadeiros humanistas aqueles que podem criar um Portugal melhor mais justo, onde o Amor ao próximo prevalece.