quinta-feira, 28 de abril de 2016

É SÓ UM DESABAFO...

Chego ao meu retiro, à minha casa, ao meu mundo interior que não tenho ninguém observando-me, a não ser a minha gata fiel Pipoca, e sinto que ainda há muito por fazer na minha já longa vida. Como diz Mafalda Veiga numa canção: " Nunca vamos chegar ao fim! "
Pois é, esse fim, não me está a interessar, interessa-me o meu presente vivido na maior das intensidades emocionais.Nas conquistas de trabalho árduo, mas não pensem que é trabalho pesado, físico. É psicológico, a mente sempre a trabalhar até à exaustão. Por isso chego a casa, e já não me interessa se tenho que jantar ou não. Sei sim,que tenho que pôr comida à Pipoca. Eu posso esperar, posso esperar que a fome me ataque, e me diga: - Tens que comer algo para continuares no teu trabalho.
As poucas horas que durmo, descanso, são só as suficientes para voltar a estar alerta para a vida.
E como se o tempo fugisse-me entre as mãos, volto à sobrevivência, porque haverá um tempo que pouco me importa que ele fuja, esse tempo, é o tempo da eternidade.
Q. A.

Sem comentários:

Enviar um comentário