domingo, 13 de setembro de 2015


"Pelos olhos de um novo povoador"
 
Por vezes, olhar para o chão que nos rodeia também faz bem, para refletir sobre o que deitamos por terra. Como se já não bastasse as pontas de cigarros que se deita para o chão, faço disso também minha culpa, ainda vemos lixo desnecessário que fica mal ao concelho de Melgaço, no seu conceito de Município ecológico, penso eu.
Estamos enquadrados no Parque Nacional da Peneda Gerês, a principal reserva natural de Portugal. Aqui coabita o homem e toda a fauna e flora autóctone da...
região e que bem podia ser mais sustentada. As agressões feitas, também e não só pelos turistas veraneios que por aqui passam, é vista sem condenação pública.
Não estou aqui para ser fundamentalista da natureza, não faz parte da minha forma de estar na sociedade, mas devíamos ser também nós a ajudar as entidades oficiais a preservar o meio ambiente. Não basta criticar os outros, é preciso que a nossa conduta caminhe para uma melhor harmonia com o ambiente. Se não formos nós cidadãos melgacenses a olhar pelo nosso património natural e histórico, quem vai olhar? Certamente não vai ser quem está nos gabinetes do poder central que vai modificar o estado das coisas.
As novas gerações merecem um futuro equilibrado. É nosso dever e obrigação dar qualidade de vida aos nossos filhos e netos, portanto, um concelho mais limpo e amigo do ambiente, traz qualidade e prosperidade.
Quantas vezes não apanhei papeis do chão deitados por outras pessoas, dezenas ou centenas de vezes, e não me caiu nada, não fiquei menos digno. Se todos procurarmos um local para deitar o nosso lixo, e eles existem, só que não é mesmo ao pé de nós, nem poderia ser…, veríamos que quem não tem esse hábito nobre passaria a ter por força das circunstâncias.
É importante que esta educação ecológica seja incutida nas crianças e adolescentes que ainda crescem educacionalmente.
Não quero nem devo ser moralista, mas era bom que todos pensássemos nisto…
Quito Arantes

Sem comentários:

Enviar um comentário