terça-feira, 15 de abril de 2014

"A Conquista do Poder aos Malfeitores"

Desde a implementação do movimento de cidadãos, este com traves mestres: Portugal sairia da “zona euro” e, de seguida, da União Europeia; a criação de um forte e consistente mercado interno; o país teria de apostar no Atlântico, reativando e modernizando a frota de pescas e marinha mercante; criação de um corredor comercial e industrial, entre Portugal e os países da américa latina; fomentação da fixação de jovens no interior; proceder a um investimento forte sem precedentes na agricultura, para que o país se torne autossustentável; criação de protocolos em trocas de comércio com a Europa, onde exportações de alta tecnologia estivessem na vanguarda; criação de um imposto solidário a todos os contribuintes ativos, de forma a sustentar o SNS e o Ensino Público.
Um memorando, aos olhos de muitos, com uma carga ideológica muito forte, talvez mesmo utópica, que poderia não ser aceite pela mentalidade do povo português, considerando-a pois onírica, mas Portugal já tinha passado por tudo e o cansaço das populações sobrecarregadas de impostos e sacrifícios, poderia levar a uma mudança de sistema político, por força das circunstâncias.

by Quito Arantes