segunda-feira, 27 de março de 2017

Três vidas perdidas na nostalgia dos dias que não voltam.



Três vidas perdidas na nostalgia dos dias que não voltam.
O senhor pescador não sabe se seu barco voltará ao mar, nem mesmo ele sabe se a sua pessoa poderá volt...ar à faina. Uma observação do casco da sua vida, árdua e de elevado perigo. Agora em terra a sabedoria sabererá falar mais alto.
Um sem abrigo que passou largos tempos na minha terra materna, sem eira nem beira, atravessava o alcool e um destino incerto que perdido nem ele mesmo sabia onde o podia levar. Vida sem destino, vida que certamente teria muito para contar aos trauseuntes que em nada lhe davam crédito. Passado dois anos viu vaguear pelo alto minho, sempre com o seu ar de sofrido. Tive pena de não interagir com ele. Certamente algo de novo apreenderia com ele. A valeta é um lugar comum, pode calhar a qualquer um de nós, ninguém está livre.
Por fim o Senhor Alcino lutador da segunda guerra mundial, presentemente não sei se ainda será vivo. Quando o conheci já tiinha noventa anos e uma lucidez invejável para a sua idade. Dele ficou um testemunho que guardo com muito apreço; a sua história em verso de marinheiro na fragata que o levou a dar a volta ao mundo em plena segunda guerra mundial. Coisas que nos marcam para sempre.
Quis partilhar convosco estas três personagens que se cruzaram na minha vida. Gente humilde sem pretenções a heróis. Gente de uma simplicidade fora do comum.
 
Q.A.
Fotos #33688FA

Sem comentários:

Enviar um comentário