sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Pelos olhos de um novo povoador

Um dia meus olhos pararam nesta paisagem. Respirei fundo, fotografei para memória futura, e disse, para comigo: - É urgente encontrar uma localidade onde possa ser eu mesmo. Assim, e com a ajuda amiga, parei numa serra adjassenta a esta, vivi, construi a minha nova vida, e quando a terra já era pequena para os meus objetivos de vida, dessidi que tinha que partir para dar descanso aos nativos, gente pacata.
Refleti sobre o meu conceito de vida, e reparei que estava confinado a um pequeno espaço ladeado pela inveja e mal dizer.
E eu como homem ingénuo e honesto, não fui capaz de resistir a uma nova oportunidade que não foi de tipo grupo Lena de Sócrates, mas sim de uma pessoa, integra, que em tempos passados salvou-me da insanidade, da loucura...
Esta foto tirada por mim em 2009, foi o começo da minha aventura pelas terras serranas, agora acabo aqui esta rúbrica, com a mesma frase de José Luís Peixoto:
-" Não sei o que é loucura ou normalidade.
Para escrever é importante sair da norma, mas duvido que isso seja loucura."


Nota: Obrigado por terem me acompanhado nestes meus devaneios.

Quito Arantes