quinta-feira, 13 de junho de 2013

Vou por aí!?


Vou por aí!?

Por vezes, dou comigo a pensar, nas minhas escolhas de vida.

Sei que no momento que decido ir por um caminho escolhido por mim, toda essa viagem caminhante de decisões e escolhas, tenho que a levar com ponderação e respeito por quem por mim se cruza. Inicialmente é um caminho solitário, que depois é trabalhado para nele ser acompanhado por alguém que nos quer bem, e tem os mesmo objetivos de vida.

Guardo com carinho as pessoas que passam pela minha vida e me fizeram crescer com pessoa. Até sinto uma sensação nostálgica de não as ter novamente partilhando meus anseios, alegrias e conversas inflamadas.

Nesta caminhada a que me propus que me levará a um destino, que só Deus sabe, porque ela faz-se todos os dias, e todos os dias o meu rumo pode ser alterado por circunstâncias em que eu posso muito bem, não ter controlo. É a serenidade do silêncio, que fala comigo e me diz: - Vou por aí!?

Irei por onde a minha alma florir nos encantos da minha existência, onde a harmonia dos homens prevalecer no bem comum. O caminhar será sempre um destino provisório, onde por vezes descanso os meus fracassos e vitórias.

- Vou por aí!? Será sempre aquilo que minha consciência ditar, onde o tempo não tenha fim, onde o amor falar mais alto, onde a terra que piso não tenha problemas de afirmação.

- Vou por aí!? Como se o meu caminhar me leve a momentos de conforto numa estrada versátil de crentes.

- Vou por aí!? Como se o universo conspirasse para formar um mundo melhor.
Quito Arantes