domingo, 6 de maio de 2012

Desculpa??? Quito Arantes!!!

Desculpa??? Quito Arantes!!!

Dizem: o que vai volta… Mas será mesmo assim tão linear? Os encontros e desencontros da vida acontecem a cada passo dado, as incertezas acumulam-se no dia-a-dia, e para todo chamamento do coração, a dor da perda é uma espada cravada na alma, que à medida que o tempo vai correndo, e essa espada vai cortando os pequenos sinais de um calor humano dado à alegria de viver, é sentida a esperança e o forte desejo de derreter a lâmina afiada que ofusca os sentimentos mais nobres.

Quero que volte toda aquela vontade e desejo de amar, todo aquele fulgor de abraçar e constituir harmonia nas almas. Não há rancor que persista quando a alma não é pequena e nada é em vão.

Quero deixar um legado que sirva de inspiração a quem perdido nas trevas, luta pela salvação do corpo e alma num só.

Na tranquilidade de um desejo, fica a esperança no dia do amanhã, mais belo, mais sentido em amor, mais próximo de ti.

Tudo passa pela aprendizagem da vida, que não se limita à juventude do corpo, mas a todo um conjunto de emoções que nos vão enxergando todos os dias.

Deixarei os meus rios fluírem para o teu mar, onde tento navegar contra as intempéries dos males entendidos.

05/05/2012



1 comentário:

  1. Adorei esse texto
    e vim aqui na sua casa
    dizer que adoro te-lo
    como amigo e escritor
    que posso
    auxilar em alguma coisa.
    Obrigada pelo respeito
    incondicional a meu trabalho.
    É reciproco.
    Creia.
    Bjins

    ResponderEliminar