quinta-feira, 3 de novembro de 2011

"POESIA AOS QUATRO VENTOS"

O caminho do verdadeiro


Ser inócuo deslumbra-se


Na entrega sem pudor


Nos movimentos mais absurdos


Da sua imagem reflectida


No encontro com o seu êxtase.



O medo cresce nas nossas


Incertezas preconceituosas.


Podia rasgar as sensibilidades


Que apoquentam as minhas pretensões


De amar o próximo.



Daqui deste lugar singelo


Levo a cabo o meu desejo de amar,


Amar sem luxúria,


Amar a ternura como me


Acariciam os meus ternos sentimentos.


Quero guardar na memória futura


As tuas palavras que confortam


Minha alma.


31/10/11