sábado, 1 de janeiro de 2011

Fim de Ano em terras de Castro Laboreiro

A Alma da lua serrana
Estava uma noite quente mas ameaçando chuva. O vento soprava com certa ligeireza fazendo com que as nuvens evocassem a apresentação da lua mostrando as suas diversas formas imaginárias. Podia ser uma noite normal, mas para mim, anunciava o fim de uma história que tinha valido enquanto durou. Era tempo de evocar novos tempos, novas formas de encarar a vida. Era o começo de uma abertura para minha mente, presa ao acomodar da vida, que me levaria a novas formas de estar.
Aqui fica este pensamento, e de certa forma um desabafo que partilho convosco.



Sem comentários:

Enviar um comentário