domingo, 7 de fevereiro de 2010

Reflexos II

Quando Penso que aqui na Terra o que é excelente
Em tudo quanto existe é coisa dum momento,
Que sôbre cada peça em palco tão imenso
A influência do céu age secretamente;
Quando os humanos vejo a crescer como plantas,
Por imutável céu freados e incitados,
Louvar a seiva nova e descrescer no zênite
E lembrança perder de seu estado antigo,
Dêsse fugaz estado então tôda a vaidade
Mais rica aos olhos meus teus jovens anos mostra,
Enquanto que ao voraz Tempo a Morte se alia,
Noite escura a fazer dos teus dias de sol!
E, pelo amor de ti, em guerra contra o Tempo,
De nôvo, enxerto em ti tudo quanto te toma.
WILLIAM SHAKESPEARE