terça-feira, 11 de agosto de 2009

Fuzeta


























Ao nascer do dia, começa a faina do mar dos pescadores da Fuzeta.

Gente simples e de trabalho árduo, que através de muitas gerações, vão mantendo as suas tradições e modo de vida.

Repartem o mar e a ria que lhes vão dando peixe e bivalves, como a ameijoa que apanham nas areias da ria quando a maré está baixa.

Apesar do sector das pescas já ter conhecido melhores dias, esta gente sobrevive à custa de muito trabalho e dedicação.

É sempre um prazer ver o dia nascer na tranquilidade das manhãs, onde o silêncio paira, ouvindo só o barulho dos motores dos barcos, que navegam em direcção ao mar, trazendo o sustento desta gente boa.