terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Jornal Barcelos Popular


sábado, 22 de dezembro de 2012

Ponte da Barca





Ponte da Barca é uma vila portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 2 300 habitantes.
É sede de um município com 184,76 km² de área e 12 061 habitantes (2011[1]), subdividido em 25 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Arcos de Valdevez, a leste pela Espanha, a sul por Terras de Bouro e Vila Verde e a oeste por Ponte de Lima.
O ponto mais alto do concelho situa-se em plena Serra Amarela, no alto da Louriça, com 1 359 metros de altitude, na freguesia do Lindoso.
Desta terra é oriunda a mãe de Santo António de Lisboa, Teresa Taveira, nascida na Casa do Paço, freguesia de Lavradas; bem como o navegador Fernão de Magalhães, da nobre família do Paço Vedro (freguesia de Magalhães).
O concelho recebeu foral de D. Teresa em 1125. Em 1917,aconteceram no sítio do Barral, as famosas Aparições de Nossa Senhora da Paz. Hoje em dia local importante de peregrinações.

(texto Wikipédia)

Contos de Encantos


"O dia do nosso encontro foi aquilo que Deus quis, sem receios, sem conspirações alheias. Foi tudo o que nossos corações pediram. Estamos entregue a esse sentimento nobre que temos vindo a modelar com sinceridade e muito carinho. Este foi o dia que senti que amar é possível, que a verdade dos sentimentos move montanhas e os rios não param de fluir em busca da imensidão do teu mar.

Vais partir, mas deixaste o teu coração bem juntinho ao meu, aquecendo toda a minha alma apaixonada.

 Será assim; tu e eu, tão distante e tão perto."
 
(A editar)

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Dia 8 de Dezembro, Sábado pelas 21:30 horas - HCV

Apresentação do meu mais recente livro; " O Recuperador de Tempo " no Hotel Castrum Villae, em Castro Laboreiro.
Será apresentado pelo amigo Dr. Carlos Oliveira

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Já à venda " O Recuperador de Tempo "

 
Novo romance, acabado de chegar da gráfica. Aos interessados em adequirir exemplares, basta enviarem um e-mail para: quito.arantes@gmail.com, com a morada para envio.
Os portes de envio pelo correio são por conta do autor.
O preço são 10,00€, a depositar através do NIB que lhes será enviado.
Este é o quinto livro editado, e o terceiro pela editora Tecto de Nuvens
 




quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Matança do porco - tradição secular em Castro laboreiro






Ainda o sol não nascera, já tudo estava preparado para a matança do porco.
Tradição secular em Castro Laboreiro, gente da terra, empenha-se em todo o processo desde o espetar da faca, a chamuscagem, até à abertura do mesmo.
Fui recebido cordialmente por esta gente, que fizeram questão de me dar a conhecer toda esta tradição.
Eu que estou inserido nesta comunidade castreja, e que vim da cidade, poderia achar um ato cruel com o animal, mas nos matadouros também eles morrem, e aqui são as pessoas que os criam e os matam para os seus sustento.
Poderei dizer que aqui em Castro Laboreiro a tradição ainda é o que era.

sábado, 20 de outubro de 2012

"Poesia aos quatro ventos"

Correm os ventos de norte
Como se um apelo anunciado
Me levasse para o paraíso.
Queria embeber-me nas fragas
Que refrescam a minha mente
...
Entupida pelo redopio da cidade.


Correm os ventos da mudança
Lentamente pelo meu ser
Nas formas de desejo inacabado.
- Levarei a dor dos momentos passados
Para que esta se desfaça em alegria
E felicidade nos ventos algures do norte.

Agora o retorno já não é possível
Não haverá hesitação num desleixo
Continuarei a amar a existência
Do bem que traz as almas amigas.
13/05/11
In "Poesia aos quatro ventos"

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

O Recuperador de Tempo - Novo livro a ser editado no final de 2012

Sinopse
 O autor, numa escrita verosímil de sobriedade e transparência, e com breves episódios, ocorridos entre o campo e a cidade, conduz o leitor, em crescendo de curiosidade à forma como o homem, enquanto ser existencial, caminha ao alcance do “Recuperador de Tempo”.
Através do protagonista da obra, Osvaldo, que ofuscado por um passado de vivências de leviandade, vive o presente, numa luta constante, reavendo o tempo perdido, em seu benefício e do meio que o circunda. Paulatinamente, em contacto com a natureza e com as pessoas que lhe são fiáveis, abandona o mundo de futilidades, outrora por ele adotado, e consegue pôr em prática, com atitudes e comportamentos fidedignos, alcançando o tão desejado “Recuperador”.
 Osvaldo “não recupera os tempos de juventude, física e irreverente, mas o seu espaço temporal de equilíbrio (…) alguém superior no universo lhe desobstruíra o caminho da vida terrena, tendo apenas de seguir os sinais de corpo e alma. Ladeado de pessoas que lhe queriam bem, construiu um mundo à sua medida, eximo a entraves de uma vida plena.”
 Valera-lhe, deveras, o conselho do amigo nórdico: “Não vale a pena perder tempo com coisas que não chegam a ser coisa alguma.”